Site institucional: 3 dicas para criar um Site cativante

Antigamente, uma empresa fazia um produto ou oferecia um serviço com a mínima preocupação (e muitas vezes sem preocupação alguma) com o pós-venda (na verdade, este termo era desconhecido), ou seja, pouco se importava com as preferências dos clientes.

Nessa época, a Lei da oferta e da procura beneficiava as empresas, dado que elas simplesmente disponibilizavam um produto no mercado e tudo era absorvido, diante da pouca oferta e da grande demanda de consumidores, além de contar com o lento processo de produção.

Contudo, devido às inovações tecnológicas dos meios de produção, a oferta de produtos e serviços não suportava a procura, isto é, já eram muitos produtos para poucos consumidores. Isso causou uma revolução no processo de vendas, fazendo com que as empresas lutassem para conquistar um espaço no mercado. Esse fato fez com que o ambiente empresarial se tornasse altamente competitivo, com as companhias travando uma verdadeira queda de braços por um cliente.

Nos dias de hoje, o bom relacionamento com o cliente é um dos pontos mais valorizados numa ação de marketing. Não basta apenas ter um excelente produto ou serviço, é necessário oferecer um suporte eficiente e um tratamento diferenciado. E quanto mais pessoal e humano, melhor.

O Site institucional

Bem, essa mudança também ocorreu na internet. Antes era apenas uma relação ditatorial, isto é, as empresas falavam e as pessoas ouviam. Com a evolução da web, a mudança de comportamento tornou-se inevitável e hoje elas querem se relacionar com as marcas.

Nos dias atuais, a função de um site institucional é apresentar um produto ou serviço e descrever melhor a empresa. Suas visitas ficam restritas às pessoas que estão buscando especificamente àquela oferta e, se o site não tiver bem posicionado no Google, a concorrência fica quase impossível.

Ninguém volta a um site frequentemente se sabe que não encontrará ali nenhuma novidade, um bom conteúdo ou um diferencial que estimule os visitantes.

Para melhorar esse quadro, vejamos 3 soluções, apresentadas por profissionais de Marketing, que podem fazer a situação do seu site melhorar diante desse novo formato da internet:

1 – O site precisa deixar claro o que sua Empresa faz

É importante os clientes entenderem a sua empresa, descobrirem claramente o que de fato ela faz. Para isso é necessário que o site esteja compreensível, mas sem a obrigação do cliente precisar pensar para deduzir do que se trata o seu negócio ou ficar limitada apenas na chamada ou no nome da empresa.

Por exemplo: uma pessoa que esteja buscando um serviço de “buffet para festas de 15 anos” e entra num site de uma empresa que “ofereça todo tipo de eventos“, porém, o site não deixa claro se o estabelecimento “trabalha com festas de 15 anos e também inclui o buffet“, provavelmente verá seu potencial cliente ir buscar um site que contenha informações mais completas sobre seus serviços.

A dica de ouro para evitar essas perdas, é convidar 5 amigos que não conheçam sua empresa, a visitarem seu site e depois descreverem o que a empresa faz. Se eles não souberem responder ou se as respostas forem muito vagas e curtas, é sinal que você precisa melhorar sua maneira de apresentar o seu negócio.

2 – Crie um Blog

O blog será a força motora responsável por manter os clientes ativos no site, fazendo com que os mesmos estejam sempre retornando em busca de novidades e atualizações. Além do mais, fornecer um conteúdo interessante e de qualidade fará com que as pessoas compartilhem o mesmo na sua rede social, consequentemente, você terá uma divulgação gratuita e eficiente da sua marca através das mídias sociais.

Saiba mais sobre a questão do blog em “8 motivos para você criar um Blog para o seu Negócio“.

3 – Escreva para o Cliente

Foque no que realmente importa. Os blogs de sucesso não são aqueles que ficam o tempo todo falando dos “benefícios e vantagens” de seus produtos ou serviços, mas sim aqueles que estão focados nas necessidades dos usuários, nas suas dores e aspirações.

Conteúdo de qualidade é falar para o usuário aquilo que ele realmente quer saber, é ser transparente, objetivo e, na medida do possível, imparcial.

Por exemplo: Um advogado que pretenda aumentar sua participação no mercado digital, poderá criar um site com um blog que fale sobre diversos assuntos relacionados ao cliente, a outros advogados e a estudantes, como: “o que fazer em casos de acidente de trabalho” ou “como elaborar um inventário” etc.

Com isso, a fidelização será mais fácil e a possibilidade de conversão de um simples visitante em um cliente, será bem mais provável.

Conclusão

Essas foram algumas breve e pequenas dicas para o seu negócio. Apesar de serem rápidas, se forem aplicadas mais a fundo, poderão fazer uma enorme diferença nos resultados da sua empresa.

É isso. Este é um canal público e aberto à críticas, sugestões e dúvidas. Caso tenha uma questão ou observação a fazer, comente abaixo e compartilhe seus conhecimentos.

Saiba mais sobre este projeto, aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X

65 milhões de pessoas, ONGs e empresas já criaram seus sites no Wix. Crie o seu AQUI

¤
Leia mais:
Fazer site
Nova categoria “Como fazer um site” – Um Guia prático para Iniciantes

Fechar